FEM Mulher é apresentado a prefeitos em assembleia da Amupe

Dentre as novidades do FEM 2015, está a obrigatoriedade de pelo menos 5% do valor repassado ser investido em políticas públicas voltadas para as mulheres. A aplicação dos recursos destinados ao FEM Mulher, como está sendo chamada a iniciativa, tem algumas diferenças em relação ao FEM tradicional. “Cada município precisa ter uma estrutura de políticas públicas para mulheres já estabelecida, seja uma secretaria, coordenadoria, assessoria, entre outras. A própria Secretaria Estadual da Mulher vai validar esta estrutura”, explicou Flávio Figueiredo.

Eu defendo que o Governo de Pernambuco crie um FEM Ambiental, destinando 5% dos recursos para que as prefeituras cuidem melhor do meio ambiente, onde devemos ter uma política ambiental,educação ambiental, cuidando das nascentes,das matas ciliares,da biodiversidaode animal, vegetal, do bioma caatinga que está sendo devastado no sertão, a mata atlântica, com campanhas de plantação de árvores, mudas,onde as prefeituras criem uma estruturas no organograma,pois em média 98% tem apenas no papel. Estes 5% serão destinados em conjunto com as escolas,entidades,sociedade para discutir uma política municipal que estimule campanhas educativas de reciclagem,redução do consumo de água, energia,reaproveitamento, manejo. O custo está inserido dentro do próprio FEM. As articulações devem ser da Secretaria de Sustentabilidade do Governo em acordo com as prefeituras. Um documento foi entregue ao Candidato Paulo Câmara quando o mesmo esteve na Cidade de São José do Egito em 2014 , ele elogiou e achou uma boa ideia.

Uma pequena contribuição. 22/04/2015

Fernando Cunha – Professor de Matemática,Pós-graduado em Marketing, MBA em Gestão e Planejamento Ambiental

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *