O mais emblemático,tradicional,cultural, misteriosos do Carnaval:

 

 

Recife reverencia cultura afro com a Noite dos Tambores Silenciosos

 
Recife reverencia cultura afro com a Noite dos Tambores Silenciosos

A Noite dos Tambores Silenciosos acontece nesta segunda-feira à meia-noite, no Pátio do Terço, no Recife. Um evento de fé e louvação à cultura afro que reúne nações de maracatus de baque-virado com a finalidade de louvar a Virgem do Rosário, padroeira dos negros, e reverenciar os ancestrais africanos, que sofreram durante a escravidão no Brasil Colonial. Este ano, a cerimônia presta homenagem em memória do Babalorixá Pai Edu, e chama atenção pelo batuque dos tambores e cânticos.

O ritual

A cerimônia começa com a apresentação dos maracatus de baque-virado, que são considerados nações (raça, espécie, casta de gente ou coisa) africanas. À meia-noite o ritual chega ao auge quando as luzes do bairro de São José são apagadas e o público presente no pátio silencia. Tochas são acesas e levadas até a porta da Igreja pelos líderes dos maracatus.

O silêncio é interrompido apenas pela batida intermitente dos tambores de todas as nações de maracatus, que entoam cânticos de Xangô. A marcha dos dançarinos é marcada pela batida de tambores. Estandartes trazem o nome dos maracatus e são seguidos por uma corte de reis e rainhas africanas devidamente caracterizadas.

O babalorixá responsável pelo ritual, alinha os batuques e rege um coro de mães-de-santo que rezam com ele, e termina o culto abençoando os membros dos maracatus e o público presente na cerimônia.

Fonte: NE10 – Fernando Cunha

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *