Sem licença ambiental, Cimento Bravo não terá mais fábrica em Pernambuco

 

 

 

 
 
A SUSTENTABILIDADE SERÁ A CHAVE DE UM NOVO FUTURO 
 

Em abril deste ano, o mercado tomou conhecimento de que a  Queiroz Galvão, comandada pelo empresário Antônio Augusto Queiroz Galvão, se prepara para entrar na briga pelo mercado de cimento no Brasil, competindo diretamente com gigantes como a Votorantim e a Camargo Corrêa. A empresa se associou ao grupo pernambucano Cornélio Brennand – das áreas de energia e produção de vidros – para construir uma primeira de cinco fábricas projetadas, em São Luís, a capital do Maranhão, com capacidade de produzir 500 mil toneladas de cimento por ano.

O projeto prevê cinco unidades industriais que devem ser erguidas pela joint venture, cujo investimento pode chegar até R$ 1 bilhão. Inicialmente a empresa atuará com foco nas regiões Nordeste e Norte. Esses são os mercados que mais crescem no Brasil.

De acordo com informações de mercado, os grupos já estavam cuidando das questões administrativas e de logística da fábrica local, mas acabram dando para trás, uma vez que tiveram problemas para a concessão da licença ambiental no Estado.

Fonte: Blog do Jamildo, 25/11/13

Fernando Cunha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *