Monthly Archives: fevereiro 2015

O mais emblemático,tradicional,cultural, misteriosos do Carnaval:

 

 

Recife reverencia cultura afro com a Noite dos Tambores Silenciosos

 
Recife reverencia cultura afro com a Noite dos Tambores Silenciosos

A Noite dos Tambores Silenciosos acontece nesta segunda-feira à meia-noite, no Pátio do Terço, no Recife. Um evento de fé e louvação à cultura afro que reúne nações de maracatus de baque-virado com a finalidade de louvar a Virgem do Rosário, padroeira dos negros, e reverenciar os ancestrais africanos, que sofreram durante a escravidão no Brasil Colonial. Este ano, a cerimônia presta homenagem em memória do Babalorixá Pai Edu, e chama atenção pelo batuque dos tambores e cânticos.

O ritual

A cerimônia começa com a apresentação dos maracatus de baque-virado, que são considerados nações (raça, espécie, casta de gente ou coisa) africanas. À meia-noite o ritual chega ao auge quando as luzes do bairro de São José são apagadas e o público presente no pátio silencia. Tochas são acesas e levadas até a porta da Igreja pelos líderes dos maracatus.

O silêncio é interrompido apenas pela batida intermitente dos tambores de todas as nações de maracatus, que entoam cânticos de Xangô. A marcha dos dançarinos é marcada pela batida de tambores. Estandartes trazem o nome dos maracatus e são seguidos por uma corte de reis e rainhas africanas devidamente caracterizadas.

O babalorixá responsável pelo ritual, alinha os batuques e rege um coro de mães-de-santo que rezam com ele, e termina o culto abençoando os membros dos maracatus e o público presente na cerimônia.

Fonte: NE10 – Fernando Cunha

 

José Adalberto Ribeiro*

joseadalbertoribeiro@gmail.com

RIBEIROLÂNDIA – Impeachment é palavrão? Tá na Constituição, meu irmão. São os Art. 85 e Art. 86, “Da Responsabilidade do presidente da República”. Eis os Mandamentos da sofrência dos atuais  inquilinos do Palácio do Planalto. A legislação dá um rolé na Câmara dos Deputados, Senado Federal e Supremo Tribunal Federal, até desembocar no impedimento do presidente da República. Mas, na prática a legislação é outra, passa pelo coração do poder, nas ruas e nos tapetes vermelhos secretos.

Yo no creo no Impeachment, pelo que lo hay, lo hay! 

A Madre Superiora está na sofrência por causa do Petrolão e do marqueteiro que mandou ela vender ilusões na campanha eleitoral.

“Estou quase indo embora,

A mala já está lá fora,

Você, maldito Petrolão, foi o culpado desse amor se acabar.

Coração valente não chora,

Você quem destruiu o meu Ibope no DataFolha,

Agora tão falando em Impeachment,

Tu, marqueteiro João Santana,

Também sôis um mala,

Porque mandou eu enganar o povão,

Dizendo que a conta de luz ia baixar.

Não baixou porra nenhuma, vai aumentar.

Aquele Bruno Araujo passou na tribuna

O discurso que tu escreveu

Pra eu ler no guia eleitoral.  

Mendoncinha tirou uma onda, me chamou de Pinóquio, 

Me fez chorar e me deixou num beco sem saída.

A mundiça tá irada comigo,

Eu tô invocada com tu, Santana.  

A gente perdemos a eleição na Câmara

Pra aquele deputado Eduardo Cunha,

Que também é um mala e não gosta de nós.

Me fez chorar, machucou meu coração.

Tô quase indo embora,

Antes tu do que eu, João Santana,

Eu quero que tu vá embora,

Tua mala já tá lá fora, marqueteiro,

Por favor não implora,

Tu devia pedir perdão,

Porque me mandou vender ilusão.  

E agora, Lula? A festa da Petrobras acabou, a luz apagou, o povo sumiu, e agora, você? Está sem mulher, sem a namorada Rose, está sem carinho, está sem discurso, já não pode bebe, já não pode fumar, cuspir já não pode, o bonde não veio, o riso não veio, não veio a utopia do poder eterno do PT. E agora os 300 picaretas do Congresso?

Feito Moisés, o sapo navegou nas ondas do Mensalão, abriu o Mar Vermelho, sobreviveu e sobrevive até hoje. O caçador das Alagoas havia naufragado nas ondas colloridas do Impeachment. Dilma dá braçadas para sobreviver nas ondas da sofrência.

*Jornalista

Excelente artigo…Fernando Cunha. blogdo magno martins

 

O COVEIRO DA CIDADE…

 

Toda Cidade precisa se reiventar para enfrentar os desafios de crescimento. e o que isso tem haver comigo? você que está lendo é responsável também..

A ano de 2015 será de desafios enormes para todos, vejamos alguns cenários:

Inflação em alta

Pib fraco

Demiissões nas montadores, redução de 30% nas vendas..Fonte Anfavea

Cpi da Petrobras, sem maioria no Congresso e Senado frágil

Governo acuado devido a corrupção instalada que ele é responsável

Falta de política pública de crescimento

Apagões – lembra o que disse Dilma?

Energia mais cara….vem mais,devido ao governo ter segurado as tarifas com subsídios.

Falta de Água…os reservatórios secos,devido a não planejamento.

Infraestrurua precária de estradas,portos

Nomeações políticas sem nexo.

Construir cemitérios é bom, pois vai morrer mais gente

 

Fernando Cunha  Fé e Confiança

EX-SECRETÁRIO DE CULTURA …….QUE COISA FEIA

Quando resolvi trazer para São josé do Egito, a maior exposição que a Cidade já teve,falei com o meu amigo Irageu Fonseca,coordenador da exposição no Estado de Pernambuco, da Secretaria de Direitos Humanos, um ano antes,articulando,conversando, e graça a Deus foi um sucesso…..Agora a sucessão de bobagens cometidas pelo ex, para que eu fosse ligado a esta ação, chega a ser imbecilidade,amadorismo, inclusive em entrevista, o jornalista perguntava:"Porque você veio para São José do Egito"? a resposta:" Eu vim para esta Cidade,porque o Fernando Cunha mim pediu"! E na apresentação final,fez  tantas manobras para que eu não fizesse parte da cerimônia de encerramento,com a casa lotada,que o amigo e coordenador, falou: quando o Fernando chegar nós iniciamos. E  ainda vejo na prestação de contas de sua gestão medíocre na Cultura, divulgado no face,que a exposição foi mérito seu,veja aqui,sem ao menos colocar o crédito,como fosse ele,e somente ele o senhor da articulação.

Nenem Patriota Chárliton

23 de dezembro de 2014 às 14:32 · São José do Egito · Editado · 

25 ANOS EM SÃO JOSÉ DO EGITO – 60 MARCOS DESTA TRAJETÓRIA
(Hoje – TERÇA – de 43 até 48):

43- Exposição TORTURA NUNCA MAIS – Para Jamais Esquecer, Para Nunca Mais Acontecer, com painéis historiando o Golpe militar de 64 e a ditadura militar, palestra inicial e término, tendo a presença de ex-presos e torturados políticos como Marcelo Mário de Melo, Chico de Assis, Alberto Cavalcanti e membros da Comissão Nacional da Verdade;
44-Idealização dos desfiles temáticos do Colégio Interativo (pelas principais ruas e avenidas da cidade), além de 04 desfiles da Rede municipal de Ensino;
45-Reativação (por duas vezes) da Escola e Banda de Música Cícero David;
46-Apoio à criação do Memorial da Cultura Popular no Centro de Cultura e transferência da sede para o Paço Municipal (antiga Câmara de vereadores), prédio histórico de São José do Egito;
47-Revitalização total do Beco de Laura (através da iniciativa do prefeito Romério), instalando novo piso, bancos, luminárias, pinturas dos prédios históricos e painéis poéticos, tornando-se local de turismo e do Sextão Cultural;
48-Descoberta oficial do Sítio Arqueológico das Batatas, com representantes da Empetur, constatando as inscrições Itaquatiara e aferindo ser um dos maiores do Nordeste brasileiro.

São José do Egito recebe exposição itinerante sobre o regime militar

 | Direitos Humanos

 

sedsdhMoradores de São José do Egito, no Sertão do Pajeú farão uma viagem pela história de luta do período militar no Brasil. Esse resgate será possível através da exposição itinerante “Democracia: Para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”, que será aberta, nesta sexta-feira, 23, no Centro de Inclusão Digital do município.

A exposição, composta por 30 painéis, retrata através de fotografias e depoimentos um período onde a repressão e a violência contra a sociedade eram constantes. O objetivo da mostra do Governo Federal, que passou também por Brasília e Fortaleza, é colocar a população em contato com a busca pelo direito a memória e a verdade.

Segundo o coordenador do Projeto Memorial da Democracia em Pernambuco, Irageu Fonseca, a mostra já foi conferida, aqui no estado, pelo público do Recife, de Caruaru, Salgueiro, Serra Talhada, Floresta, e agora São José do Egito. Os painéis que compõe a exposição mostram não só um resgate do regime militar, mas um pedaço importante da nossa história que é destacado em roda de diálogos com professores, historiadores e estudantes, em alguns locais por onde passa. Acrescenta Irageu Fonseca

Na abertura, a presença dos anistiados políticos Carlos Alberto Soares e Alberto Vinícius, que poderão contar um pouco da história de luta que vivenciaram à época.

Nenen Patriota.

Fernando Cunha