Monthly Archives: outubro 2013

Brasil ocupa o 6º lugar em ranking de engajamento com o trabalho

 

 

Um levantamento do instituto de pesquisas Gallup indica que o Brasil é o sexto país do mundo em que as pessoas estão mais satisfeitas com seu trabalho –a lista tem 142 países.

O estudo indica que 27% dos brasileiros estão engajados no trabalho, ou seja, emocionalmente conectados à profissão e concentrados em gerar resultados para as empresas todos os dias. A média global é de 13%.

Música e dança para estimular vendedores podem ter efeito inverso
MBA tem foco em quem quer ser líder e já tem experiência

O ranking é liderado por Panamá, Costa Rica, Estados Unidos, Filipinas e Qatar.

Para medir o nível de engajamento dos funcionários, os pesquisadores fizeram 12 perguntas como "você sabe o que sua empresa espera de você?" e "você tem um melhor amigo no trabalho?", para entender se os entrevistados estavam contentes em seus empregos e conectados com a companhia em que trabalham.

Os resultados levaram o estudo a traçar três perfis de funcionários: os ativamente desengajados, que não estão contentes com seu trabalho e transmitem isso aos seus colegas de trabalho; os não engajados, que não colocam paixão no que fazem; e os engajados, que estão realizados em seus cargos e empresas.

Segundo o resultado, enquanto mundialmente a quantidade de profissionais "ativamente desengajados" supera a de engajados em uma proporção de 2 contra 1, no Brasil a realidade é inversa: os profissionais felizes em seus empregos representam mais que o dobro de quem não está contente (27% ante 12%).

A pesquisa também mostrou que 77% dos brasileiros engajados em seu trabalho estão prosperando na sua vida em geral. Entre os ativamente desengajados, o número é de 48%.

Para chegar a esse resultado, a Gallup analisou dados de 7,8 milhões de respondentes em 179 países coletados entre 2010 e 2012.

 

FONTE: FOLHA

FERNANDO CUNHA, SJE,23/10/2013

 

 

 

NOTÍCAS ECONÔMICAS

 

FONTE:JORNAL VALOR ECONÔMICO – 23/10/2013

FERNANDO CUNHA, SJE 22/10/2013

 

Assistindo o excelente filme infantil  "Os Croods" com minha filha Maria Fernanda e esposa Geize; o mesmo mim fez  refletir sobre como estamos presos a fantasma e suas sombras. Leia esta excelente resenha:

 

 

Para Platão, que afirma ser mais ignorante aquele que não sabe que é ignorante, os prisioneiros acorrentados são as pessoas em geral, que presos em sua realidade não conseguem buscar uma verdade que não aquela que é mostrada. Uma verdade que é “empurrada” desde que se nasce e o que acontece é a aceitação dela, sem refletir se não há algo além daquilo. Além disso, Platão afirma que as informações, idéias das coisas que adquirimos com os sentidos, não são as coisas como realmente são, mas sim uma “sombra” dessas idéias. Aquele que estiver preso a aceitar como verdade só o que é capaz de perceber com os sentidos, não será capaz de refletir sobre essas coisas que normalmente vemos, ouvimos, sentimos etc. e o resultado é continuar na ignorância, já que não conseguiremos perceber que somos ignorantes. E justamente a caverna, (que produz o eco das pessoas que passam falando e assim, os cativos pensam ser as vozes das sombras) e a pouca luz solar que entra por ela (mostrando as sombras das pessoas e das coisas que passam na entrada), é a verdade adquirida com os sentidos. O fogo que ilumina a caverna, seguindo o pensamento de Platão, seria um pouco do conhecimento que podemos adquirir caso consigamos tentar “andar um pouco para frente”. Como, no caso do cativo que foi solto, pôde ver que existia algo além daquela sua verdade, pôde observar que havia algo que produziam aquelas sombras, e esse algo poderia ser uma nova verdade, mas ainda demonstrando que a ignorância ainda existe. Quando o cativo é obrigado a sair da caverna, ele se depara com a luz do Sol, cegado por essa luz, ela não consegue observar os “seres reais”. Então, ele procura se adaptar, olhando as sombras e reflexos, para logo em seguida conseguir observar de frente o que está ao seu redor.. Nessa hora, seguindo o pensamento do filosofo, esse ser se encontra no mundo das idéias, onde ele passará por algumas fases até conseguir enxergar a “verdade”, e poder refletir sobre ela. 

Fonte:

2012, 06). Resenha Alegoria Da Caverna, De Platão. TrabalhosFeitos.com. Retirado 06, 2012, de http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Resenha-Alegoria-Da-Caverna-De-Plat%C3%A3o/252379.html

Fernando Cunha, SJE, 20/10/2013

 

 

Andaram mim  dizendo e ví por aí, que quando a feira vai mal, a Cidade vai mal! é uma verdade que precisamos entender mais, e pesquisar,pois a feira é um termômetro dos negócios dos comerciantes;quando temos  movimento, temos giro de dinheiro,giro de pessoas;é onde as pessoas se encontram,vão ver um parente, comprar em  Maria da barraca, comer o pastel frito sem gorduras,tomar  um caldo de cana geladinho, ver as últimas novidades do cinema(mesmo sendo pirata),compra moda nas barracas,enfrentar a mobilidade no dia de feira e não precisa audiência do vizinho, pagar a farmácia, fazer compras nos supermercado,comprar prego,cimento,utilidades do lar,rapadura,doce,bolo,verduras,o churrasco do domingo(falta apenas mim convidar), pechinchar na feira do troca-troca, dá um grau no cabelo,escutar a  entrevista das rádios, a última novidade em política,gaia do vizinho,quem morreu,cobrar a quem deve,assuntar novidades,jogar conversa fora,comer bode com arroz de leite,xerém com leite moça, tomar um pequeno, olhar as moças faceiras, escutar poetas,artistas mostrando sua arte,fofocas boas e más. A feira é um caldeirão familiar comunitário,onde se encontra tudo e todos(basta ler Dedé Monteiro e Vinicíus Gregório com suas belas obras). Precisamos resgastar este ambiente que reflete o movimento da cidade, para melhorar emprego e renda;pois atualmente, as pessoas estão perdendo o brilho nos olhos, a vontade de crescer, lojistas desanimados,vendedores com sorriso amarelo! para onde vamos? porquê não crescemos?como fazer o diferente? estamos todos no mesmo barco, não adianta apontar erros dos outros,temos que caminhar juntos. Este blog vai  continuar debatendo e sonhar que podemos fazer mais.

envie para o email:fernandocunha40@hotmail.com, a sua idéia de melhorar esta situação, e vou publicar todas elas.

 Fernando Cunha, nos arredores da feira, na Capital da Poesia,19/10/2013

Ctrl  C , Ctrl V e a Teoria de Lavoisier:

 

PT lista aliados de Campos que não devolveram cargos e cita tio do governador

 

Aviso prévio? Empenhados em desconstruir o discurso crítico adotado por Eduardo Campos após entregar os cargos do PSB no governo federal, petistas concluem lista das vagas que continuam ocupadas por aliados do governador, um mês depois do anúncio do desembarque. Além de postos na Chesf e no Ministério da Integração, o PT cita o nome de Marcos Arraes de Alencar, tio de Campos, indicado pelo governador para mandato na diretoria da Hemobras (Empresa Brasileira de Hemoderivados).

Bons tempos Já o ex-ministro Fernando Bezerra, que deixou a Integração Nacional e é cotado para ser o candidato do PSB à sucessão de Campos em Pernambuco, usa o Twitter diariamente para propagandear as obras da pasta.

Numerologia Convidado para a reunião da Executiva do PSB e da Rede na quarta-feira (16), Pedro Simon (PMDB) fez duras críticas a Dilma. O senador gaúcho sugeriu que, se for criar ministérios para agradar a base aliada, a presidente anuncie duas pastas, para que o total seja 41, e não 40, número do PSB na urna.

Sem pressa Aliados de Aécio Neves (PSDB) decidiram em reunião na quarta-feira (16) que usarão os próximos meses para consolidar a aliança com DEM, Solidariedade e PPS. Só devem buscar as siglas da base de Dilma (como PP, PTB e PR) após março.

Ameaça Reunidos com Michel Temer na terça-feira (15), senadores do PMDB reclamaram que o PT dá sinais de rompimento em Estados cruciais para a sigla, como Ceará, Rio de Janeiro e Maranhão. E aventam o risco (remoto) de o apoio a Dilma não passar na Convenção Nacional.

Procuração Na casa de Eunício Oliveira (PMDB-CE), os parlamentares pediram ao vice-presidente uma comissão para negociar acordos com os aliados nos Estados, mas só após a reeleição de Rui Falcão na presidência do PT, prevista para novembro.

Ficha completa A Secretaria da Micro e Pequena Empresa vai permitir que a ONG Transparência Brasil tenha acesso aos dados das 27 juntas comerciais do país para listar empresas pertencentes a parlamentares e candidatos em 2014. O acordo será assinado no mês que vem.

Integrado Prefeitura e governo de São Paulo preparam acordo que prevê repasse de quase R$ 300 milhões do município para obras de monotrilhos na zona sul e na zona leste. Parte do dinheiro previsto é proveniente da venda de títulos da Operação Urbana Água Espraiada.

Trem caipira O governo paulista expandiu para outras regiões uma campanha publicitária na TV que destaca projetos da gestão Geraldo Alckmin (PSDB) no interior. O objetivo é reforçar marcas da gestão no principal reduto eleitoral do governador.

Tensão Deputados estaduais da base de Alckmin preveem impasse na votação das gratificações e planos de carreira para as polícias Civil e Militar, graças a interesses conflitantes das duas corporações. Acreditam que a votação pode ficar para 2014.

Na janelinha O Planalto não gostou de o presidente da Embratur, Flávio Dino, ter sugerido a abertura do mercado de voos domésticos para empresas aéreas estrangeiras. Auxiliares de Dilma dizem que o tema não foi discutido com ministros responsáveis pela Copa do Mundo.

Rota Eduardo Sanovicz, presidente da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), diz que foi o setor que pediu ao governo a flexibilização da malha aérea na Copa. O governo deve abrir autorizações especiais de voos para forçar a queda das tarifas durante o evento.

*

TIROTEIO

Dilma deveria lançar o programa 'Vela para Todos', para os agraciados com casas sem energia elétrica que ela corre para inaugurar.

DO DEPUTADO RODRIGO MAIA (DEM-RJ), sobre a presidente ter inaugurado unidades do 'Minha Casa, Minha Vida' sem ligações de luz nem de água.

*

CONTRAPONTO

Bate e volta

Em seu segundo mandato como governador de São Paulo, nos anos 70, Laudo Natel (Arena) chamou seu motorista em uma sexta-feira, entrou em um Opala e viajou de improviso para Cordeirópolis para inaugurar um centro de saúde. Chegando à cidade, foi à prefeitura para buscar o prefeito, mas descobriu que ele não estava.

Contrariado e atrasado, Natel chegou ao centro de saúde às 18h e teve uma nova decepção: o público havia ido embora e o posto estava fechado.

-Declaro inaugurado o centro de saúde -disse.

Logo depois, entrou no Opala e voltou para São Paulo.

Com ANDRÉIA SADI e BRUNO BOGHOSSIAN

painel

Vera Magalhães é editora do Painel. Na Folha desde 1997, já foi repórter do Painel em Brasília, editora do caderno 'Poder' e repórter especial.

Fernando Cunha, 19/10/2013

RAPADURA É DOCE, MAS NÃO É MOLE NÃO, LEIA:

 

Os últimos são os primeiros

BRASÍLIA – Tudo indica que os candidatos de 2014 serão Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos, mas as suas "sombras" não apenas se mexem como falam cada vez mais.
Lula, o instintivo, até na Argentina insiste em bater na imprensa, para desqualificar as críticas, e provoca: "Falem mal, mas falem de mim".

Serra, o persistente, aproveitou uma passadinha por Brasília para deitar falação de candidato e criticar o PSDB pela antecipação do debate eleitoral, mandando um recado para o partido: "Estou disponível para o que der e vier".

E Marina, a dissidente, conseguiu o maior feito político da semana: bater boca com Dilma, presidente da República e líder nas pesquisas, e jogar no ar da sucessão uma palavra ardida. Segundo ela, a marca do governo Dilma é o "retrocesso" em relação a FHC e a Lula. Lulistas e tucanos concordam.

O mais interessante é que bastou Marina sair da disputa para virar o centro das atenções, polarizar com Dilma e ganhar manchetes de jornais. Aécio e Campos podem se esgoelar à vontade que não encontram eco no Planalto, muito menos ganham manchetes.

Como explicar que uma ex-candidata tenha poder para tirar Dilma do sério e ocupar um espaço que os próprios candidatos não têm? Talvez porque o eleitorado esteja de fato mais atento ao que Marina diz e mais curioso sobre o que ela vai fazer. E, certamente, porque a rixa de Dilma e Marina não é de hoje, vem de longe.

No governo Lula, Dilma era a "gerentona", a "mãe do PAC", e vivia às turras com Marina, a "verde", a "guardiã da sustentabilidade". Foi por causa de Dilma, e por não ter chance de se candidatar pelo PT, que Marina saiu do governo e do partido para o voo sonhático.

Dilma acha que bater de frente com Marina diminui Aécio e Campos, mas deve avaliar melhor. Candidata ou não, é Marina quem está massificando o discurso da oposição.

eliane cantanhêde

Eliane Cantanhêde, jornalista, é colunista da Página 2 da versão impressa da Folha, onde escreve às terças, quintas, sextas e domingos. É também comentarista do telejornal "Globonews em Pauta" e da Rádio Metrópole da Bahia.

 

 

 

Vitória pírrica ou vitória de Pirro é uma expressão utilizada para expressar uma vitória obtida a alto preço, potencialmente acarretadora de prejuízos irreparáveis.1

A expressão recebeu o nome do rei Pirro do Épiro, cujo exército havia sofrido perdas irreparáveis após derrotar os romanos naBatalha de Heracleia, em 280 a.C., e na Batalha de Ásculo, em 279 a.C., durante a Guerra Pírrica. Após a segunda batalha,Plutarco apresenta um relato feito por Dioniso de Halicarnasso:

Cquote1.svg Os exércitos se separaram; e, diz-se, Pirro teria respondido a um indivíduo que lhe demonstrou alegria pela vitória que "uma outra vitória como esta o arruinaria completamente". Pois ele havia perdido uma parte enorme das forças que trouxera consigo, e quase todos os seus amigos íntimos e principais comandantes; não havia outros homens para formar novos recrutas, e encontrou seus aliados na Itália recuando. Por outro lado, como que numa fonte constantemente fluindo para fora da cidade, o acampamento romano era preenchido rápida e abundantemente por novos recrutas, todos sem deixar sua coragem ser abatida pela perda que sofreram, mas sim extraindo de sua própria ira nova força e resolução para seguir adiante com a guerra.2 Cquote2.svg

Esta expressão não se utiliza apenas em contexto militar, mas também está, por analogia, ligada a atividades como economia, política, justiça,literatura e desporto para descrever luta similar, prejudicial ao vencedor.

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Vit%C3%B3ria_p%C3%ADrrica

 

 

O MITO DE PANDORA

 

Prometeu, deus cujo nome em grego significa "aquele que vê o futuro", doou aos homens o fogo e as técnicas para acendê-lo e mantê-lo. Zeus, o soberano dos deuses, se enfureceu com esse ato, porque o segredo do fogo deveria ser mantido entre os deuses. Por isso, ordenou a Hefesto [1], que criasse uma mulher que fosse perfeita, e que a apresentasse à assembléia dos deuses. Atena, a deusa da sabedoria e da guerra, vestiu essa mulher com uma roupa branquíssima e adornou-­lhe a cabeça com uma guirlanda de flores, montada sobre uma coroa de ouro. Hefesto a conduziu pessoalmente aos deuses, e todos ficaram admirados; cada um lhe deu um dom particular:

Atena lhe ensinou as artes que convêm ao seu sexo, como a arte de tecer;

Afrodite lhe deu o encanto, que despertaria o desejo dos homens;

As Cárites, deusas da beleza, e a deusa da persuasão ornaram seu pescoço com colares de ouro;

Hermes, o mensageiro dos deuses, lhe concedeu a capacidade de falar, juntamente com a arte de seduzir os corações por meio de discursos insinuantes.

Depois que todos os deuses lhe deram seus presentes, ela recebeu o nome de Pandora, que em grego quer dizer "todos os dons".

Finalmente, Zeus lhe entregou uma caixa bem fechada, e ordenou que ela a levasse como presente a Prometeu. Entretanto, ele não quis receber nem Pandora, nem a caixa, e recomendou a seu irmão, Epimeteu, que também não aceitasse nada vindo de Zeus. Epimeteu, cujo nome significa "aquele que reflete tarde demais", ficou encantado com a beleza de Pandora e a tomou como esposa.

A caixa de Pandora foi então aberta e de lá escaparam a Senilidade, a Insanidade, a Doença, a Inveja, a Paixão, o Vício, a Praga, a Fome e todos os outros males, que se espalharam pelo mundo e tomaram miserável a existência dos homens a partir de então. Epimeteu tentou fechá-la, mas só restou dentro a Esperança, uma criatura alada que estava preste a voar, mas que ficou aprisionada na caixa […] e é graças a ela que os homens conseguem enfrentar todos os males e não desistem de viver.

NOTAS:

[1] deus do fogo e das habilidades técnicas

___________

FONTE: (CHALITAVivendo a filosofia, 2004, p.26).

 

 

 

Entrevista com Luíza Trajano do Magazine Luíza, imperdível!

Sempre iniciamos nosso bate-papo no Entrevista CEO conhecendo um pouco da pessoa que estamos entrevistando. Por isso, gostaríamos que você nos contasse um pouco sobre a Luiza Helena.
 
Luiza Helena: Sou francana, casada e mãe de três filhos. Desde 1991, quando o Magazine Luiza criou uma holding, me tornei diretora-superintendente da empresa. Iniciei minhas atividades profissionais no Magazine Luiza aos 12 anos, quando abdiquei das férias escolares para trabalhar na loja. Quando ingressei profissionalmente na empresa passei por todos os departamentos do grupo, da cobrança à gerência, das vendas à direção comercial, até me tornar superintendente.
Coordenei a criação das Lojas Eletrônicas Luiza, um projeto pioneiro no varejo nacional, hoje chamado de Lojas Virtuais. Nestas lojas há um vasto catálogo de produtos que são demonstrados na tela de um computador. Participei da idealização da Liquidação Fantástica, que acontece sempre no início do ano e tem produtos com até 70% de desconto.
Blog: O Magazine Luiza foi fundado há quase meio século. Fale-nos desta história de sucesso, do seu início até os dias atuais.
Luiza Helena: O Magazine Luiza foi fundado por meus tios, Pelegrino José Donato e Luiza Trajano Donato. A história começou quando eles adquiriram uma pequena loja de presentes, chamada ‘A Cristaleira’, em Franca, interior de São Paulo. Hoje, o Magazine Luiza possui 352 lojas, distribuídas por sete estados brasileiros, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Nosso desenvolvimento tem sido fundamentado no espírito da honestidade e no bom trato ao cliente, sem esquecer, é claro, da valorização de nossos maiores incentivadores, os mais de 10 mil funcionários do Magazine Luiza.
 
Blog: O Magazine Luiza é uma das maiores redes de varejo do país. Atuando em vários estados, com centenas de pontos de vendas e milhares de colaboradores. Quais são seus principais desafios, motivações e expectativas como superintendente? Minha principal expectativa, como superintendente, é que o Magazine Luiza continue crescendo, sem perder sua alma.

 

 

Blog: Temos acompanhado as mulheres ocupando, cada vez mais, posições de destaque tanto nas empresas como nos governos. Na sua opinião, porque isso vem ocorrendo? Quais as principais características e diferenças entre uma gestão feminina e masculina? E, se ainda existem preconceitos neste sentido e o que se pode fazer para supera-los?

Luiza Helena: Acredito que homens e mulheres têm as mesmas chances de ter sucesso, desde que se empenhem e mostrem seu valor. No Magazine Luiza não há diferenças para homens e mulheres, até nosso número de funcionários é equilibrado. Desta forma incentivamos a igualdade de direitos e preservamos um ambiente de respeito. Acredito que hoje em dia o mercado valoriza muito mais o trabalho das mulheres que provam sua capacidade por meio de muito esforço e dedicação. É claro que ainda há muitas barreiras a serem transpostas, mas já evoluímos muito. Para ter sucesso uma empresa precisa ter velocidade, rentabilidade e qualidade. Neste aspecto algumas qualidades femininas passaram a ser indispensáveis, como a flexibilidade, intuição, processo educativo e interação. Devido a todos esses aspectos as mulheres estão tendo um espaço muito maior porque a elas foi permitido desenvolver essas habilidades. Eu costumo dizer nas minhas palestras que toda mulher tem de conhecer a sua força, junto com isso respeitar profundamente a força masculina. Eu acredito na junção da força masculina e feminina. Quando elas se juntam, seja na educação dos filhos, nas empresas, em qualquer coisa, todos nós saímos ganhando muito mais.

Blog: Já que o assunto é tecnologia. Como o Magazine Luiza encara as novas tecnologias, em especial a internet, para a consolidação de seus negócios?

Luiza Helena: Quando criamos as Lojas Virtuais, em 1992, a internet praticamente ainda nem existia. Criamos esse novo conceito para tornar possíveis as vendas em pequenas cidades, sem termos um custo muito alto com a construção de lojas grandes. As lojas virtuais exigem uma pequena estrutura física, porque nelas não há exposição de produtos. As pessoas definem suas compras por meio de um terminal multimídia. Após termos consolidado essa experiência, criamos, em 1999, o site magazineluiza.com, que hoje é a melhor loja da rede em resultados de vendas. As lojas virtuais e o site respondem por 12% do faturamento da rede.

Blog: O Magazine Luiza possui muitos prêmios conquistados. Quais são os principais? E, a que se deve tamanho reconhecimento público?

Luiza Helena: Há nove anos figuramos entre as 10 melhores empresas para se trabalhar, segundo o guia do Instituto Great Place to Work. Em 2003, conquistamos o primeiro lugar. Todo esse reconhecimento se deve a atitudes inovadoras na gestão dos Recursos Humanos. Em 2006, o Magazine Luiza foi premiado em Caxias do Sul (RS), com o troféu O Mercador, como destaque do comércio pelo Sindilojas (Sindicato do Comércio Varejista de Caxias do Sul) e o Sindigêneros (Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios). Também recebemos o Prêmio Empresa Mais Admirada, do segmento Varejo de Eletro-eletrônico, na 9ª edição da pesquisa realizada por CartaCapital/TNS InterScience. Conquistamos ainda o prêmio O Equilibrista, de Destaque do Comércio, que foi concedido pelo Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças de Campinas.

Fonte:http://entrevistaceo.blogspot.com.br/2006/12/luiza-helena-ceo-do-magazine-luiza.html

Fernando Cunha, SJE,17/10/2013