Monthly Archives: outubro 2013

PARA REFLEXÃO SOBRE PIROTECNIA GOVERNAMENTAL

27/10/2013 – 02h00

O mundo encantado da Doutora Dilma

 

No Brasil encantado em que vive o Planalto, as obras do trem-bala estariam adiantadas e ele rodaria em 2016, para a Olimpíada. Felizmente, continua no papel. Depois do Enem deste fim de semana haveria outro (ou já houvera).

Infelizmente, foi só promessa da doutora Dilma e do ministro Fernando Haddad. Seu substituto, o comissário Mercadante disse que prefere gastar construindo creches. Por falar em creche, durante a campanha eleitoral a doutora prometeu mais seis mil (quatro por dia).

Em abril ela disse o seguinte: "Queremos mais, muito mais. (…) Vamos chegar a 8.685 creches." A repórter Maria Lima fez a conta e mostrou que seria necessário entregar 31 novas unidades a cada dia até julho do ano que vem (13 por dia até o fim do governo). A doutora zangou-se: "Minha meta é 6.000 creches. Quem foi que aumentou para 8.000?" Ela.

Sua conta era a seguinte: em abril, havia 612 creches prontas, 2.568 em obras e 2.117 contratadas. Somando, chegava-se a 5.397. Se obras em andamento e contratadas são obras concluídas, 2010 foi um grande ano. Terminaram-se as obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e as águas do rio São Francisco foram transpostas. Promessas.

Para ficar na conta da meta de campanha, admitindo-se que a doutora já entregou 3.000 creches, até o fim do seu mandato precisa entregar pelo menos oito por dia.

O mundo encantado do Planalto desencadeia uma compulsão mistificadora. Se o governo terminar só 4.000 creches, atire a primeira pedra quem acha esse programa um fracasso. Será um grande resultado, que partiu de uma promessa exagerada.

Trocando o mundo real (a obra entregue) pelo virtual (a promessa, ou o contrato), o comissariado intoxica-se numa euforia que desemboca na irritação. A última bruxaria do encantamento partiu da doutora Magda Chambrard, diretora da Agência Nacional do Petróleo.

Ela anunciou que nos próximos 30 anos o campo de Libra renderá R$ 1 trilhão. Em maio passado a mesma doutora disse que "gostaria de ter mais Eikes" no setor petrolífero. Uma semana depois, começou o inferno astral de Eike Batista e de quem acreditou nele.

O encantamento desenvolve nos governantes uma síndrome de sítio, como se o mundo estivesse contra ele. De onde Maria Lima tirou a referencia às 8.000 creches? De uma fala da doutora.

*

AVISO AMIGO

Há sinais de que será necessária uma chacoalhada de pessoas e políticas na condução da economia.

Depois da repercussão dos leilões aguados e das dificuldades de Eike Batista, dividem-se os empresários em dois grupos: um torce por um novo quadro, outro quer que fique tudo como está, para continuar tirando fatias do presunto de um governo atrás de credibilidade.

ALSTOM

Ou o tucanato paulista tem uma estratégia capaz de causar inveja ao comissariado petista que pretende livrar seus caciques das penitenciárias pelo mensalão, ou está numa tática suicida, jogando o escândalo do propinoduto denunciado pela Siemens para dentro da campanha eleitoral do ano que vem.

Pelas provas, depoimentos e cifras, esse caso ultrapassa, de longe, o mensalão. Ali não há domínio do fato, o que há são fatos dominantes.

EM SILÊNCIO

A Arquidiocese do Rio tirou a sorte grande por trabalhar em silêncio. Há cinco anos ela fez uma faxina nas suas contas, afastou um padre que administrava seus bens e transferiu para uma casa em São José dos Campos o cardeal Eusébio Scheid, substituído por d. Orani Tempesta.

Scheid deixou o apartamento de 500 metros quadrados (R$ 2,2 milhões) que fora comprado no Flamengo. O administrador, padre Edvino Steckel, foi acusado de ter gasto R$ 14 milhões em móveis, carros e enfeites. Em 2010 seu substituto foi detido no Galeão quando embarcava para Portugal com 52 mil euros nas roupas e nas malas.

Agora o papa Francisco detonou publicamente o bispo da Diocese alemã de Limburg, que torrou 31 milhões de euros num palácio episcopal.

JOHN KENNEDY

Começa na semana que vem a avalanche dos 50 anos da morte, no dia 22 de novembro, do presidente americano John Kennedy. Juntando mito e mistério, girará em torno de dois grandes temas: foi Lee Oswald, sozinho, quem o matou? E se ele não tivesse ido a Dallas, como ficariam os Estados Unidos?

O mistério do crime prosseguirá e metade dos americanos continuarão acreditando que houve uma conspiração. Chegará às livrarias a tradução de "11/22/1963", de Stephen King. (Na rede, em inglês, sai por US$ 12,38.)

Conta a história de um sujeito que viajava no tempo e foi a Dallas para impedir que Oswald atirasse. Seu melhor momento está na conclusão, escrita com a ajuda de Richard Goodwin, que foi assessor de Kennedy. Ele especula como ficaria o país se a viagem a Dallas tivesse sido cancelada.

Existem 40 mil livros sobre o presidente. Os melhores estão mais para o estilo Roberto Carlos, e a maioria é ruim. Muito acima da média, está na rede por US$ 15,20 o "Camelot's Court – Inside the Kennedy White House" (A Corte de Camelot – Por dentro da Casa Branca de Kennedy"), de Robert Dallek.

Dallek, um moderado devoto da tese segundo a qual os tiros vieram de Lee Oswald, acrescenta mais um "se".

Kennedy teria sobrevivido "se" não estivesse com o colete ortopédico que mantinha-o com o tronco erecto. Por quê? Porque, ao levar o primeiro tiro, que entrou pelas costas e saiu pelo nó da gravata, teria se curvado e o novo tiro não lhe explodiria o crânio.

Uma aula de FHC para os comissãrios

Em agosto de 1995, na mesma arapuca em que caiu a doutora Dilma, o programa "Café com o Presidente", Fernando Henrique Cardoso disse o seguinte:

"Passados seis meses de governo, eu quero anunciar os primeiros resultados positivos dos esforços que nós estamos realizando para combater uma triste realidade brasileira: a mortalidade infantil. E quero começar falando do município de Jaramataia, que fica lá no interior do Estado de Alagoas.

Até o ano passado, 333 crianças, de cada mil que nasciam, morriam antes de completar um ano de idade. De janeiro para cá, este número caiu para 3. Vou repetir, é isso mesmo, caiu para 3 crianças em cada mil."

Lorota do mundo encantado. Três crianças mortas para mil nascidas vivas, nem na Suíça. Esse era o número de mortes por diarreia em Jaramataia, onde a mortalidade caíra de 333 para 249. Quando a fraude foi revelada, a máquina do encantamento mobilizou-se, e uma médica recebeu um telefonema intimando-a a "não deixar o presidente passar por mentiroso".

FHC paralisou a máquina, dizendo mais ou menos o seguinte: "O número estava errado? Então estava errado, e nós não temos que responder à crítica".

No caso da doutora Dilma, o Planalto explicou que entre as 8.685 creches mencionadas por ela havia obras contratadas por Lula. Fica combinado assim.

Elio Gaspari

Elio Gaspari, nascido na Itália, veio ainda criança para o Brasil, onde fez sua carreira jornalística. Recebeu o prêmio de melhor ensaio da ABL em 2003 por "As Ilusões Armadas". Escreve às quartas-feiras e domingos na versão impressa de "Poder".

Fernando Cunha, Made in SJE,27/10/2013

DECISÕES, SÃO DECISÕES!

 

O Governo Federal com sua política nefasta de centralização dos recursos e com uma ambição descomunal para a reeleição de sua candidata, tem deixado os municípios em situação precária,pois nesta mesma proporção a sua arrecadação é uma das maiores de todos os tempos,segundo dados da Receita Federal em seu site. Recentemente alguns prefeitos como Guga Lins(PSDB) Sertânia, Túlio Vieira(PT) Surubim, Fernando Fernandez(PC do B) de Sanháró, já anunciaram a sua decisão de  cortar salários e reduzir despesas,e quem deu o ponta pé foi o prefeito de Petrolina(PMDB) Júlio Lóssio. Sabemos que a situação do município não é diferente dos outros,e a diferença entre um e outro é a eficiente gestão dos recursos, e diante deste desafio, que é enorme, não temos visto uma ação de impacto para alavancar o desenvolvimento da cidade, pois pagar salários,recolher lixo,calçamento, é um atributo básico conforme preceitos constitucionais. A única alternativa neste momento pode ser cortar salários; e demissão,o que pode agravar a já combalidade economia de São José do Egito. O desafio está posto, agora é aguardar.

 

Fernando Cunha, Made in SJE, 26/10/2013 às 16:55hs

 

Em recente comentário aqui no blog e junto com o PEREBA, disse que são grandes as possibilidades de Eduardo Campos, caso chegue ao segundo turno,será o Presidente, queira ou não queira os juízes! veja o que disse Magno em seu blog:

 

A razão do estresse de Dilma

O publicitário José Nivaldo Júnior, da Makplan, postou no seu twitter uma informação  até hoje não divulgada da pesquisa Datafolha da semana passada sobre a corrida presidencial. Na simulação de segundo turno de avaliação das chapas, Dilma/Temer teria 46% contra 37% da chapa Eduardo/Marina.

No cenário Dilma/Temer contra Marina/Eduardo, o resultado seria de 44% a 42%. Conclusão: Eduardo já seria uma ameaça real e tem um ano para aumentar a identidade com Marina.

Finalmente, se explica a polvorosa que tomou conta do Planalto.

escrito por Magno Martins às 14:22hs  

Fernando Cunha, transcrito do blog do Magno, SJE, 26/10/2013.

Fernando Cunha, SJE 26/10/2013

Com uma administração não profissionalizada e politicagem braba na Empresa, a mesma está amargando números negativos a um ano, o lucro caiu em 39%, e o preço do petroléo esta congelado desde 1970 na OPEP(Organização Mundial dos Países Produtores de Petroléo), é o Brasil sem rumo; veja esta matéria:

 

Lucro da Petrobras cai 39% no 3º trimestre

Na carta que acompanhou o balanço, divulgado ontem à noite, a presidente da companhia, Graça Foster, destacou o impacto do aumento da defasagem num momento de forte demanda interna por combustíveis

 

ob forte pressão do descompasso entre os preços da gasolina e diesel vendidos no País e os preços internacionais, a Petrobrás fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 3,39 bilhões. A queda em relação ao mesmo período do ano passado foi de 39%; em relação ao segundo trimestre deste ano, o tombo foi ainda maior: 45,3%. O resultado frustrou as expectativas dos analistas, que previam resultado em torno de R$ 5,7 bilhões.

Na carta que acompanhou o balanço, divulgado ontem à noite, a presidente da companhia, Graça Foster, destacou o impacto do aumento da defasagem num momento de forte demanda interna por combustíveis. Para suprir o mercado de diesel, por exemplo, a estatal foi obrigada a importar o produto, a um preço mais alto, para vender no Brasil por um valor mais baixo.

Pela primeira vez, a Petrobrás deu um sinal mais firme de mudança na metodologia de aumento de gasolina e diesel. De acordo com o que foi descrito por Graça, em busca de uma "convergência de preços" aos patamares internacionais, a diretoria da estatal apresentou ao Conselho de Administração, presidido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, "uma metodologia de precificação a ser praticada pela companhia, através da qual se tenha maior previsibilidade do alinhamento dos preços domésticos do diesel e da gasolina aos preços internacionais". 

O conselho, que se reunirá duas vezes em novembro, analisará na segunda reunião, no dia 22, os resultados das simulações feitas pelos técnicos da Petrobrás. "Ainda que tenhamos tido quatro reajustes de preço de diesel e dois de gasolina nos últimos 16 meses, totalizando 21,9% e 14,9% de aumento, respectivamente, a forte depreciação do real verificada desde maio de 2013, chegando a 22% de desvalorização, fez com que a defasagem voltasse a crescer nos últimos meses", disse Graça, no comunicado ao mercado.

A discrepância entre os preços se reflete não apenas na receita da estatal, mas também no indicador que mede o nível de endividamento da empresa. A relação entre o endividamento líquido e o patrimônio líquido (alavancagem) no terceiro trimestre foi de 36%, acima do limite desejável que havia sido estabelecido pela companhia, com teto fixado em 35%. 

Isso significa que a Petrobrás tem recorrido a uma parcela muito grande de capital de terceiros para se financiar. Essa situação tem preocupado agência de classificação de risco, como a Moody's que já rebaixou a nota dada à dívida de longo prazo da companhia. Medidas como essa podem representar o encarecimento do financiamento externo à Petrobrás.

O indicador de "alavancagem" ganhou importância em 2010, ano em que a estatal realizou sua megacapitalização, de mais R$ 120 bilhões. Na oportunidade, uma das razões para a operação foi justamente a preocupação de que o indicador colocasse em risco a nota de agências de rating.

Ao lado disso, a petroleira não conseguiu ainda elevar o seu patamar de produção, que manteve a estabilidade no terceiro trimestre, embora tenha apresentado avanço de 3,7% em setembro em relação a agosto. Na carta aos acionistas, Graça deixou um recado ao citar empresas que atrasaram entrega de equipamentos e a dificuldade de aquisição de embarcações no Brasil.

Fonte: jc, 26/10/2012 às 09:00hs

Fernando Cunha, made in SJE

Brasileiro gasta, em média, 30 minutos para chegar ao trabalho

 

SÃO PAULO – Apesar de ter melhorado a renda e aumentado a posse de veículos automotores, a população pobre ainda enfrenta os maiores problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades brasileiras. Entre as pessoas com renda per capita de meio a um salário mínimo, 17% passam mais de uma hora no deslocamento casa/trabalho. Essa proporção é seis pontos percentuais superior à registrada nas famílias mais ricas (acima de cinco salários mínimos).

Os extremamente pobres (renda de até um quarto do salário mínimo), por outro lado, passam, em média, tempo menor presos em engarrafamentos (58% gastam menos de 30 minutos). Essa situação, porém, reflete a falta de condições de mobilidade desse estrato da população, que se vê obrigado a trabalhar em locais próximos de casa por não poder pagar os custos do transporte público.

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) 2012 sobre os deslocamentos casa/trabalho, assim como sobre a posse de veículos automotores e o acesso à política de auxílio-transporte, foram apresentados pelo Ipea nesta quinta-feira (24), durante a coletiva de divulgação do Comunicado nº 161 – Indicadores de mobilidade urbana da PNAD.

Padrão de mobilidade

O texto do Comunicado afirma que “o padrão de mobilidade urbana no Brasil te se alterado nos últimos anos com o aumento acelerado da taxa de motorização da população, o que significa mais acidentes de trânsito, maior poluição veicular e perda de tempo em função dos congestionamentos nos centros urbanos”.

Entre 2008 e 2012, a proporção de domicílios com algum tipo de veículo privado saltou oito pontos percentuais. Atualmente 54% dos lares brasileiros tem na garagem um carro e/ou moto. Como resultado do maior número de veículos nas ruas, o tempo médio gasto para chegar ao trabalho pelos habitantes das regiões metropolitanas atingiu 40,8 minutos – a média, no Brasil, é 30,2 minutos.

As capitais do Norte e Nordeste tiveram as pioras mais significativas nas condições de tráfego. Belém, Salvador e Recife apresentaram, entre 1992 e 2012, taxas de crescimento do tempo de viagem de 35%, 27,1% e 17,8%, respectivamente.

Auxílio-transporte

Outra constatação do estudo do Ipea foi a ineficácia das políticas de auxílio-transporte para as camadas pobres. De acordo com a PNAD, apenas 11% das pessoas extremante pobres recebem vale-transporte. “As 

classes

 baixas têm os maiores percentuais de informalidade no trabalho, de forma que a política do vale-transporte não atinge justamente quem mais precisa”, ressalta o texto.

 

O Comunicado conclui ser inevitável a tendência de aumento na taxa de motorização da população, especialmente com a contínua melhora na renda dos trabalhadores, o que gerará impactos sobre as condições de mobilidade e exigirá investimentos vultosos por parte dos governos em melhoria da infraestrutura de mobilidade nas próximas décadas.

Fonte: DCI

Fernando Cunha, made in SJE, 24/10/2013

"Plano de Voo": Invasão chinesa e a carga tributária

 

O clima entre empresários chineses e brasileiros do setor têxtil e de confecções, marcado pela elevada concorrência, azedou ontem. Diante da manifestação de trabalhadores e empregadores na inauguração da “Go Tex Show – Feira internacional de Produtos Têxteis”, na capital paulista, os concorrentes dos brasileiros lembraram que estão fazendo negócios em um país de livre mercado e que eles não têm culpa se a carga tributária aqui é muito alta. As lideranças brasileiras do setor foram chamadas para apagar o incêndio, em nome da importante parceria comercial entre os dois países. As exportações da China para cá, de janeiro a setembro deste ano (US$ 27,8 bilhões), equivaleram a 1,72% do total, pouco acima de igual período de 2012 (1,68%). Já as exportações do Brasil para a China, na mesma comparação, foram de US$ 35,9 bilhões – 20,2% do total, acima dos 17,9% do ano passado.

Contra a censura

Usando as redes sociais, o deputado federal por São Paulo, Newton Lima (PT), está mobilizando eleitores para pressionarem os congressistas a votarem a favor do Projeto de Lei 393, de 2011, que propõe o fim da censura às biografias, tema polêmico que ganhou repercussão nacional. “Colabore com a liberdade de expressão e peça para seu deputado votar a favor da Lei das Biografias”, diz o chamado do petista. A votação deve ocorrer somente em novembro.

Gestoras da inovação

Executivas como Graça Foster (Petrobras), Sonia Hess (Dudalina), Marcio Kumruian (Netshoes) e Jean Marc Etlin (Itaú BBA) discutem as melhores práticas de gestão de empresas inovadoras com alto potencial de crescimento, hoje, em São Paulo, no CEO Summit SP, promovido pela Endeavor e EY (antiga Ernst & Young).

El Salvador

O governo de El Salvador quer intensificar o comércio com o Brasil e irá abrir no próximo dia 31 o Escritório Comercial e de Turismo em São Paulo – o terceiro no mundo e contará com a presença do ministro das Relações Exteriores da República de El Salvador, Jaime Alfredo Miranda Flamenco. O adido comercial do novo escritório será o brasileiro Tasso Gadzanis.

Palavra de Dilma

O Palácio do Planalto divulgou nota ontem chamando de “equivocadas” informações colocando em dúvida o compromisso do atual governo em construir seis mil creches. “Não há dúvida sobre o número anunciado pela presidente Dilma Rousseff. Até o final de 2014, o nosso compromisso é construir 6 mil creches, contratá-las e pagá-las com recurso do Tesouro Nacional”.

Desalinhamento cambial

Responsável pelo Observatório de Câmbio da FGV, Emerson Marçal apresenta hoje, em São Paulo, diferentes estimativas de desalinhamento cambial para o Brasil e as principais moedas do mundo, mostrando que os mesmos são altamente persistentes e de montante relevante para afetar decisões de investimentos e consumo.

Migração para o on-line

“É um processo natural levar para o on-line cada vez mais facilidades e serviços", diz o CEO da Tritone Interactive, Fernando Estanislau. A Tritone assina o Portal Primeline, que o Bradesco oferece a seus clientes Prime. O portal traz informações sobre investimentos, indicadores econômicos, simulação de carteira e muito mais.

Em prol da saúde

A Intertek é uma das 30 empresas patrocinadoras da 5ª Edição do Jantar de Gala promovido pelo Instituto Ronald McDonald, hoje, em São Paulo. Os recursos serão direcionados para projetos em prol da cura do câncer infantojuvenil.

Colaboração: Tânia Muller e Renê Gardim

FONTE: DCI,

Liliana Lavoratti

Fernando Cunha, 24/10/2013 ,  made in SJE

 

 

ÁS VEZES NÃO QUEREMOS ENXERGAR O ÓBVIO, MAS UMA ANÁLISE CORRETA,  É UM CAMINHO PARA UMA VITÓRIA! VEJA A DATA DO ENVIO, 26/09/2012! E AÍ?

 

De: fernando da silva cunha cunha (fernandocunha40@hotmail.com)
Enviada: quarta-feira, 26 de setembro de 2012 17:20:45
Para: geraldopalmeira@yahoo.com.br

 

 
SEGUNDO A LENDA:
 
A CADA 1000 ANOS ACONTECE NO DIA 07/10/; UM EVENTO CHAMADO R13:
SEGUNDO CONTA, EXISTIA UM REINO CHAMADO SAO JOSE DO EGITO,ONDE UM IMPERADOR MALVADO, MORADOR DAS ALTAS MONTANHAS, QUERIA SER TORNAR O DONO DE TODOS E DE TODAS DO REINO;COMANDANDO UM EXERCITO DE PESSOAS;ONDE O MESMO DOMINAVA COM ARROGANCIA E NO CHICOTE;MAS APARECER UM JOVEM MEDICO;QUE ESTAVA CONQUISTANDO O POVO POR ONDE PASSAVA; AS  REUNIOES  NA SENZALA, ACONTECIA DE FORMA DISCRETA;POIS TODOS PARTICIPAVAM;QUE ERA PARA NAO MELINDAR O IMPERADOR QUE SEUS SÚDITOS ESTAVAM LÁ;NESTA REUNIAO TINHA DE TUDO:ZÉ DO POVO, UM ARQUITETO;JORNALISTAS(ESCRIBAS) UM RADIO 95.3;UM DOIDO;UM NENEM;PRETINHO; E ASSIM FORAM TODOS; E A COISA COMEÇOU A TOMAR RUMOS GRANDES;CADA VEZ MAIS CRESCENDO;FOI QUANDO UM POETA FEZ UMA MUSICA E DISSE: E VOCÊ ESTÁ COM QUEM? RESPONDERAM; COM O R13;E QUEM ERA?O QUE FAZIA? FOI QUANDO GRUPO COMANDADO POR UM ARQUITETO, E ZÉ DO POVO;DISSE: VAMOS ENFRENTAR O IMPERADOR! E SURGIU O GRUPO R13;FORÇA 13;E A MUSICA PEGOU:É COM ROMERIO DO PT; ASSIM NO DIA 07/10 O ROMERIO DO PT SERA NOMEADO NOSSO REPRESENTATE E TIRANDO O IMPERADOR DE SEU CASTELO;
A LENDA DIZ QUE SERA UM REINO DE FARTURA,DESENVOLVIMENTO PAZ E ALEGRIA! ESTA A LENDA DO R13.